quinta-feira, 28 de julho de 2011

Surpreendida!

Ontem passei numa rua com um passeio muito estreito e como estava um senhor ao portão resolvi sair do passeio e ir para a estrada, rente aos carros estacionados, para não atrapalhar o senhor. Nisto, esse mesmo senhor começa a ralhar comigo: " para a próxima tens que vir no passeio, passa um carro e podes ser atropelada, ...". Eu olhei para trás a pensar que ele estava a falar com alguma criança mas não, era comigo! Fiquei completamente surpreendida, espantada, completamente admirada, por ele ser ter preocupado e ter ralhado comigo porque se preocupou, porque teve medo que eu fosse atropelada.

 (Fonte: Google Imagens)

Fiquei tão surpreendida, tão admirada, que primeiro não tive reacção, depois senti-me como se tivesse cinco anos e o meu pai estivesse a ralhar comigo e depois só soube dizer: "sim, o senhor tem toda a razão, tem toda a razão". E ele lá continuou a ralhar comigo até eu ir para o passeio e ficar "a salvo"!
E, só depois, de ter analisado a situação é que me apercebi que ainda há pessoas neste mundo que se preocupam com desconhecidos, com pessoas que nunca viram na vida.. Sim, posso estar mais descansada pois ainda há quem se preocupe sem receber nada em troca!
E eu, de tão surpreendida que fiquei, nem agradeci pela preocupação que o senhor teve comigo. Mas sei que a vida o há-de recompensar, e muito bem, pela generosidade que existe no seu coração.
E vocês, alguma vez ficaram assim surpreendidos?


Boa Viagem!

13 comentários:

Manuela disse...

Querida Caminhante, eu sou a senhora que te diz essas coisas, no meio da rua ou que mete conversa contigo na fila do supermercado! Dá para perceber, pelo meu blog, verdade?! ;)

Mafalda S. disse...

Já reparaste que tu também te procupaste com ele? Sim, ainda há pessoas assim...

Beijos

saboracasa disse...

É verdade quando menos se espera ali está uma boa alma.
Certo dia fui buscar as pequenas à escola num dia de chuva torrencial... Dirigi-me para a paragens e ups não tinha dinheiro. Ali perto existe o pingo doce, mas multibanco sem dinheiro... eu e as pequenas uns pintos molhadinhos
Chamei um taxi e disse não tenho dinheiro passamos num multibanco e pago-lhe
O Sr graças a Deus acreditou

Célia Gil, narciso silvestre disse...

É bom haver este sentimento gratuito em relação ao outro, mesmo não o conhecendo. Bjs

paty disse...

Querida Caminhante, ainda há pessoas boas e que se preocupam com os outros, temos de acreditar que sim! Não sei onde te aconteceu essa situação mas penso que nos meios mais pequenos ainda há muita ajuda entre as pessoas, definitivamente nas cidades as pessoas são muito individualistas, não se pode contar com ninguem :(( Beijinho grande

p.s.Mandei-te um email em resposta ao teu comentário no meu blogue :))

O meu pensamento viaja disse...

Estou cheia de vergonha, mas vou confessar que o senhor me parece um bocadinho, muito pequenino, esclerosado, coitadinho.
Ou sou eu que sou muiiiito má?

Beijos e podes ralhar-me de volta,
Nina

Te disse...

:-) ainda bem que nos aparecem estas surpresas tão boas quando menos esperamos. Ficamos de sorriso na cara.

Beijinho.

Any =D disse...

Ainda bem que ainda há pessoas assim. Este mundo precisa disso, porque a generosidade e a preocupação não deve ser só para aqueles que conhecemos, mas para todos os que nos rodeiam. Às vezes há é vergonha mesmo que se tenha a intenção de fazer algo não conseguimos. Falo por mim, já me aconteceu não ser capaz de falar em certas situações por causa da vergonha!

Viciante disse...

Olá!

É tão bom ficarmos surpreendidas pelos outros, por aqueles que às vezes não conhecemos, mas aquilo que mais gosto é ficar surpreendida (pela positiva) com aqueles que conheço! É tão! E também gosto de surpreender os outros! porque acho que as surpresas também fazem parte da vida!

Caminhante disse...

Manuela, sim dá para perceber pelo teu blogue. Eu é raro meter conversa com as pessoas quando estou à espera de algo mas à vezes é mais forte que eu!Na maior parte das vezes, costumam por conversa comigo e eu costumo responder mas, principalmente, ouvir quando é necessário.

Mafalda S., não tinha reparado que também me tinha preocupado com ele porque é uma coisa que faço normalmente, sem pensar no assunto. Obrigada pela observação :)

Saboracasa, acho que não existem muitos taxistas assim. Mas deixar-vos molhadas seria uma maldade! Ainda bem que ele acreditou em ti.

Célia, é óptimo!

Paty, concordo contigo. Mas na localidade onde se passou esta cena, nesta altura está cheia de turistas e acho que existe a tendência de ser perder essa inter-ajuda!
Já te respondi ao email. Aguardo resposta :)

Nina, já me ri com o teu comentário. Nem sei se isso me passou pela cabeça na altura mas se me passou, tirei logo do pensamento. Acho que é apenas um senhor que se preocupa porque secalhar pensa que os jovens são irresponsáveis e porque não quer atropelamentos à sua porta. Mas eu acho que ele simplesmente se preocupa.

Te, eu fiquei com um sorriso enorme na cara desde que me apercebi que a cena era comigo..por ser uma situação invulgar para mim :)

Any, não te preocupes com a tua timidez, é normal e "cada um é como é" e tenho a certeza que se visses que fosse uma situação em que tivesses mesmo que intervir deixarias essa tua timidez de lado.
E concordo contigo: a generosidade e a preocupação devem estar presentes em nós para tudo o que nos rodeia.


Muito obrigada a todas pelos comentários. Beijinhos

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

hehehe.... Que situação! Resta saber se passasses no passeio ele não iria resmungar que só fazem passeios pequenos, que não cabe ninguem e tem de se andar na estrada! hehe

ana disse...

Ainda bem que ainda existem pessoas assim, genuinas e que nos conseguem supreender pela positiva. Beijinho

Caminhante disse...

Gaspas, fica para sempre essa dúvida :)

Ana, ainda bem que essas pessoas existem. Posso estar mais descansada :)

Beijinhos e obrigada meninas!