quinta-feira, 18 de julho de 2013

Num mau momento..

Nós, seres humanos, somos seres insatisfeitos por natureza (mais por defeito diria eu). Nunca estamos, realmente, satisfeitos com nada. Até as pesoas que se contentam com pouco e que acham que estão bem com o pouco que têm, acham que podiam ou ter um pouco mais ou um pouco menos para estarem mais satisfeitas ou em paz consigo próprias,

Eu, sou uma enorme sortuda, diriam muitos (e eu sinto isso, é verdade). Tenho o homem que amo ao meu lado, que me apoia e que me ama incondicionalmente. É o homem com quem eu hoje, quero passar o resto da minha vida. Tenho uma relação amorosa que, por não ser perfeita, para mim é mais que perfeita. Tenho uma casa, com uma excelente vista, bem situada e que eu adoro (e tivémos tanta sorte em encontrá-la a tão bom preço). Tenho comida e tenho uma condição financeira minimamente estável. Tenho poucos amigos mas que são fantásticos e que me completam nesta área. Tenho família que, apesar de tudo, eu sei que me adora. Tenho um lado tão completo, tão cheio, tão bom.. Mas por outro, falta algo que não sei o que é.. Talvez um trabalho que eu, realmente, gostasse. Talvez qualquer coisa apenas fosse o suficiente. Tenho a possibilidade de começar de novo e não sei o que hei-de fazer. Qual é o meu lugar neste mundo? O que é que eu ando mesmo aqui a fazer? Não sei. Não sei mesmo e acho que é mesmo isto que mais me perturba, o não saber, o não me contentar em não saber. O não aproveitar toda a parte boa da minha vida. Não estou satisfeita, podia ser uma pessoa melhor e não o sou. Não sei o que quero neste momento. Quero fazer algo, tenho ideias mas falta a motivação que maldita não aparece. E custa tanto estar nesta situação. Não sou uma menina coitadinha, sempre lutei por aquilo que quero. Nunca fui de ficar parada à espera que as coisas viessem ter comigo e isso ainda mais me irrita. Como é que eu estou nesta situação? Estou a iludir-me?

Neste momento não sei nada de nada. Apenas aqui ando por um caminho que não conheço. Ando perdida e sinto-me sózinha nesta área. Ninguém compreenderia se eu falasse disto a alguém. Não me falta nada e sinto um enorme vazio. Quando é que eu parei de lutar? Quando me venci, terá sido? Sim, porque se ando a lutar é contra mim mesma..Desistir e acomodar eram palavras que não estavam no meu dicionário, secalhar passaram a estar. Desistir de procurar um trabalho, um emprego, algo que satisfaça o enorme vazio que sinto. Acomodar-me à vida que tenho e ficar satisfeita porque não preciso de trabalhar para sobreviver, como tantas pessoas e famílias precisam. Acomodar-me à situação de ser sustentada pelo meu homem e dar graças a Deus por ele ainda ter um emprego e um ordenado que, mal ou bem, ainda chega para os dois. É frustante saber o estado em que está este país.

Todos temos maus momentos e descarregá-los faz bem para depois enchermos o alívio que sentimos com coisas boas e foi o que fiz agora. Não vou desistir de mim, isso está fora de questão. Aos poucos e poucos, um momento de cada vez =)

Boa Viagem!

6 comentários:

Natacha disse...

Como te compreendo, minha querida!

Quer-me parecer que, acima de tudo, estás a precisar de te encontrares a ti própria; experimenta trilhar esse caminho, explorá-lo bem e ver onde ele te leva. Um dia de cada vez. Às vezes, a motivação (e não só) está logo ali, a seguir a uma pequena curva do nosso próprio caminho.

Bjs!!

Cláudia disse...

Por um lado sei o que sentes pois estou sem trabalho e adorava arranjar algo... Neste momento já é algo.. Mas eu queria mesmo era algo que me deixasse realizada...

Graças a Deus que tens é mais coisas boas que más na tua vida.. Um marido que te ama e amas, uma casa e uma família unida.

Beijocas

Maria disse...

Há por vezes fases assim em que nos questionamos...mas o que não sabemos a vida sabe e nós seguiremos o nosso rumo!!!
Bjs
Maria

Ana Rita disse...

Todos temos desses momentos em que sentimos um enorme vazio. Parece que falta algo, que precisamos sentir-nos úteis de alguma forma, mas não percebemos como. Os objectivos variam com o humor e acabamos por nunca perceber em concreto o que nos poderia motivar. Enfim. Melhores dias virão.
Beijinho

Sonica disse...

Conclusão perfeita, querida, é isso mesmo, não desista nunca de vc!!Bj,

Turista disse...

Querida Caminhante, e como a vida se faz caminhando, espero que nesta altura já tenhas enveredado por uma "ruela" que te eleve à tua felicidade plena. Por vezes temos de esperar um pouco...
Beijinhos grandes e boas férias.